Análise reforça teoria de que OVNI teria pousado em Peruibe-SP

Especialistas em ufologia realizaram estudos no local do suposto pouso de um OVNI no bairro Balneário São João Batista 3, em Peruíbe, litoral de São Paulo.

Área do terreno que teve o mato amassado por suposto OVNI foi isolada pela prefeitura de Peruíbe (Foto: Divulgação/Edilson Almeida/Prefeitura de Peruibe)
Links Patrocinados
 

O mato do terreno de uma residência na Rua Dezenove ficou amassado em formato triangular na manhã seguinte ao avistamento de luzes misteriosas por parte dos moradores.

Segundo o ufólogo Saga Susseliton Souza, que integra um grupo de estudos com apoio da prefeitura de Peruíbe, análises feitas pelo biólogo Paulo Aníbal apontaram que a Taboa (nome da planta do terreno) estava queimada. O engenheiro Paulo Eduardo Pilon e os ufólogos Marco Leal e Sandra Casagrande também apoiaram o trabalho.

“Colhemos o material, as folhas e as flores, e levamos para São Paulo, onde a análise do Paulo constatou queimaduras caloríficas nas pontas, nas flores e no fruto da Taboa também. Queimou, mas não derreteu. As pontas ficaram pretas. Se você queimar com o fogo, vira fuligem. Pode ter chegado até a 100 graus”, afirmou Saga com exclusividade ao Portal da Band.

O ufólogo não descartou que um OVNI tenha pousado no local. “Nossa conclusão é que o fenômeno que ocorreu aqui é possível de um pouso de um OVNI. Pouso ou um ‘pairamento’, pois não se sabe necessariamente a tecnologia que eles têm, que seja superior que não deixe marcas no chão”, explicou.

O pouso da suposta nave alienígena ocorreu na virada do dia 7 para 8 de outubro. A prefeitura de Peruíbe, no entanto, revelou o ocorrido apenas na última semana, para que os pesquisadores tivessem tempo de efetuar o estudo sem aglomeração.

Blecaute na noite do pouso

Segundo o relato do ufólogo, moradores revelaram que houve uma queda de energia no decorrer da noite. Uma família de uma residência ao lado avistou luzes no local.

“Um vizinho que mora em frente, um japonês, viu pelas frestas da janela. Uma luz entrou dentro da casa, iluminou uma parte. Foi passando pela casa, uma parte escura e outra iluminada. Quando saiu, a esposa dele foi correndo para a janela, ela viu uma luz verde azulada na rua, batendo no chão”, destacou Saga.

“Testemunhas de um senhor que mora cinco ruas abaixo, ele viu o objeto alguns dias antes e viu também no dia do pouso. Ele indicou que a luz era grande, descia e piscava até que sumiu de uma vez”, completou o pesquisador.

Drone fora de controle

Os pesquisadores utilizaram um drone para fazer imagens aéreas do terreno. No entanto, Saga relatou uma surpreendente dificuldade de manusear o aparelho ao se aproximar do local do pouso. O motivo seria um forte campo magnético.

“Fizemos imagens com um drone, que acusou anomalia magnética. Quando chegava a dois metros e meio do chão, perdia o controle, emitia a luz vermelha de alerta, perdia o equilíbrio, mostrando que houve uma alteração no campo magnético”, explicou.

Não é a primeira vez que Peruíbe é destaque no cenário nacional por causa de OVNIs. Em 2008, um fato idêntico ocorrido no bairro de São José ganhou a mídia. Na ocasião, em 18 de agosto, uma nave alienígena teria pousado numa região de mato e deixado a vegetação amassada da mesma forma como registrada agora no Balneário São João Batista 3.

“É idêntico ao ocorrido em 2008”, afirma Saga. “Só muda um pouco o formato pela dimensão do terreno. As características de queima são iguais. A diferença é que o local de agora estava com mais de um metro e meio de água cerca de três dias antes do ocorrido. Uma semana depois do possível pouso tinha menos de 30 centímetros de água”.

Confira a reportagem da televisão local no video abaixo:

Conteudo Patrocinado