Cientistas descobrem como fazer ‘upload’ de conhecimento para o cérebro

Pesquisadores afirmam ter desenvolvido um simulador que pode alimentar informações diretamente no cérebro de uma pessoa e ensiná-las novas habilidades em um curto período de tempo, como no clássico filme da ficção científica "The Matrix".

Links Patrocinados
 

Se você preferir, pode ouvir a matéria completa narrada pelo nosso canal do Youtube logo abaixo:

Os cientistas acreditam que poderiam ser os primeiros passos no desenvolvimento de softwares avançados que tornarão realidade o aprendizado instantâneo, no estilo “Matrix”. No clássico filme de ficção científica, o protagonista Neo é capaz de aprender kung fu em segundos, depois de fazer o “upload” da arte marcial diretamente para o seu cérebro.

Pesquisadores do HRL Laboratories, com sede na Califórnia, disseram ter encontrado uma maneira de amplificar o aprendizado, apenas em uma escala muito menor do que a vista no filme de Hollywood.

Eles estudaram os sinais elétricos no cérebro de um piloto treinado e, em seguida, alimentaram os dados em sujeitos iniciantes, enquanto aprendiam a pilotar um avião em um simulador de vôo realista.

O estudo, publicado na revista Frontiers in Human Neuroscience, descobriu que os indivíduos que receberam a estimulação cerebral, através de cápsulas com eletrodos embutidos, melhoraram suas habilidades de pilotagem e aprenderam a tarefa 33% melhor do que o grupo placebo de controle.

“Nosso sistema é um dos primeiros desse tipo. É um sistema de estimulação cerebral”, explicou o Dr. Matthew Phillips. “Parece meio ficção científica, mas há uma grande base científica para o desenvolvimento do nosso sistema. A tarefa específica que estávamos examinando era “pilotar uma aeronave”, que requer uma sinergia de desempenho cognitivo e motor. Quando você aprende alguma coisa, o cérebro se modifica fisicamente, as conexões são feitas e fortalecidas em um processo chamado neuroplasticidade (capacidade do sistema nervoso em mudar, adaptar-se e moldar-se a nível estrutural e funcional quando sujeito a novas experiências), e certas funções do cérebro, como a fala e a memória, estão localizadas em regiões muito específicas do cérebro, aproximadamente do tamanho do dedo mindinho”.

O Dr. Phillips acredita que a estimulação cerebral poderia ser implementada para tarefas como aprender a dirigir, preparação para exames e aprendizagem de línguas.

“O que nosso sistema faz é realmente direcionar essas mudanças para regiões específicas do cérebro conforme você aprende”, acrescentou ele. “O método em si é realmente muito antigo. Na verdade, os antigos egípcios, há 4000 anos, usavam peixes elétricos para estimular e reduzir a dor. Até mesmo Benjamin Franklin aplicou correntes à sua cabeça, mas a rigorosa investigação científica desses métodos começou no início dos anos 2000 e estamos nos baseando nessa pesquisa para mirar e personalizar um estímulo da maneira mais eficaz possível. Seu cérebro será muito diferente do meu cérebro quando realizarmos uma tarefa. O que descobrimos é que a estimulação cerebral parece ser particularmente eficaz para melhorar a aprendizagem”, concluiu o Dr. Phillips.

Conteudo Patrocinado