Dream Chaser: o sucessor do Onibus Espacial

O Dream Chaser é um veículo espacial multi-missão reutilizável e será usado para o transporte na órbita baixa da Terra. É capaz de transportar 5 toneladas no módulo de carga e pousar horizontalmente em uma pista.

123
Steven Lindsey, ex-astronauta e vice-presidente da Space Exploration Systems, de Sierra Nevada, ao lado do Dream Chaser, nas instalações da empresa em Louisville.
Links Patrocinados
 

Nos últimos anos, Steve Lindsey, ex-piloto e astronauta da Força Aérea dos EUA, foi encarregado do projeto, desenvolvimento e testes do Dream Chaser, sucessor do Ônibus Espacial da NASA, uma nave espacial construída pela Sierra Nevada Corp. em Louisville. No mês passado, a NASA deu sinal verde para a produção depois que a nave passou por um teste crucial.

O Dream Chaser é capaz de voar sem tripulação e deve ser lançado no final de 2020. A nave transportará suprimentos, experimentos científicos e outras cargas para a Estação Espacial Internacional. O plano é que ele seja lançado acoplado a um foguete Atlas 5 do Cabo Canaveral, na Flórida, onde usará a mesma pista em seu retorno.

Links Patrocinados
 

Lindsey, que hoje é Vice-Presidente de Sistemas de Exploração Espacial da Sierra Nevada, explicou que eles concluíram a revisão crítica do projeto em dezembro de 2018, que foi um marco importante. A revisão foi o culminar de literalmente centenas de revisões de design críticas menores por subsistemas e sistemas.

A NASA escolheu a Sierra Nevada, SpaceX e a Orbital ATK, que depois foram adquiridas pela Northrop Grumman, para levar suprimentos para a Estação Espacial como empreiteiros sob o programa Commercial Resupply Service 2, em 2016. O contrato multimilionário da Sierra Nevada é para um mínimo de seis missões.

O Dream Chaser, que é muito parecido com o design do ônibus espacial, será a única espaçonave com asa voando para a Estação Espacial.

No futuro, a Sierra Nevada espera enviar um outro Dream Chaser com uma tripulação em órbita. A empresa já tem um modelo de veículo projetado para transportar seres humanos e é a base para o Dream Chaser que será lançado em 2020.

A nave é do mesmo tamanho que o Dream Chaser e tem os mesmos controles de vôo, mas não foi construída para entrar em órbita. Ele foi projetado para vôos de teste e completou o tipo de aterrissagem em pista que o Dream Chaser precisará fazer ao retornar.

A Sierra Nevada será proprietária e operará o Dream Chaser, mantendo as parcerias público-privadas que a NASA se comprometeu a entregar carga e tripulações à estação espacial.

John Roth, Vice-Presidente de desenvolvimento de negócios para a Sierra Nevada Space Systems, disse que a NASA não está mais fabricando naves espaciais. Eles procuram empresas privadas como parceiras. Roth acrescentou que as parcerias são boas para o público, já que deveria economizar bilhões de dólares para o governo. Também é bom para empresas privadas porque elas podem desativar a tecnologia e usar os veículos para outras aplicações comerciais.

A espaçonave terá aproximadamente 10 metros de comprimento, o que representa cerca de um quarto do tamanho dos ônibus espaciais, que foram projetados com um compartimento de carga mais espaçoso para acomodar peças que foram utilizadas na construção da Estação Espacial e do telescópio Hubble. No entanto, o design do Dream Chaser pode transportar perto do mesmo volume que o ônibus espacial carregava, de acordo com Lindsey. Ele é construído para transportar até cerca de 5,5 toneladas.

Além disso, as asas do Dream Chaser não são tão grandes quanto as do ônibus espacial. A maior parte da sustentação é criada por sua parte de baixo, que é larga e plana. Lindsey explicou que um benefício é que as “forças g”, ou forças gravitacionais, são muito mais baixas durante a reentrada do que em uma cápsula. A nave pode pousar em uma pista em vez de cair no oceano como uma cápsula.

A Lockheed Martin está construindo a estrutura da nave em um local em Fort Worth, Texas. A embarcação é feita para ser usada até 15 vezes.

O trabalho no Dream Chaser combinado com a experiência da Sierra Nevada com sistemas de satélite, sistemas de propulsão e controle ambiental estão ajudando a orientar o design do que a empresa chama de Gateway Lunar. Esse projeto com a NASA pretende ser o início da exploração lunar ou um posto avançado para longas viagens espaciais, como uma missão a Marte.

Lindsey fez sua última viagem ao espaço em 2011 a bordo do ônibus espacial Discovery, que também registrou sua última viagem nessa missão. Ele foi o piloto na viagem do Discovery em 1998, em que o lendário astronauta John Glenn, aos 77 anos, juntou-se a ele, se tornando o homem mais velho a voar no espaço.