Foram detectados 15 sinais de rádio poderosos em uma galáxia distante

Breakthrough Listen é um projeto colaborativo internacional para buscar sinais de civilizações extraterrestres, e empregou seus instrumentos de alta precisão para observar um evento astronômico único, o Fast Radio Burst (FRB) 121102.

306
Concepção artística de uma estrela de nêutrons.
Links Patrocinados
 

Os FRBs são pulsos breves e extremamente enérgicos de ondas de rádio, cuja misteriosa origem confundiu cientistas nos últimos dois anos. O FRB 121102 é ainda mais especial, pois é o único que se repete. Esta característica permitiu estudos detalhados da fonte, com Breakthrough Listen detectando 15 pulsos de alta freqüência durante apenas duas observações de 30 minutos dessa parte do céu. Isso sugere que está em um estado mais ativo.

“Explosões desta fonte nunca foram vistas nesta alta frequência”, disse Andrew Siemion, diretor do programa Breakthrough Listen.

O projeto usou o Green Bank Telescope, que é capaz de gravar vários gigahertz de largura de banda. Isso permitiu ao time de pesquisadores detectar a emissão em maior frequência. Ao longo das cinco horas de observações, foram coletados 400 terabytes de dados, e a equipe atualmente está analisando.

Links Patrocinados
 

“Além de confirmar que a fonte está em um estado recém-ativo, a alta resolução dos dados obtidos pelo instrumento permitirá medir as propriedades dessas explosões misteriosas com uma precisão maior do que nunca antes possível”, disse o pesquisador Vishal Gajjar, que descobriu o aumento da atividade.

A explicação mais provável para os FRBs são as colisões de estrelas de nêutrons. Porém, nesse caso, uma fonte repetida como o FRB 121102 requer uma explicação diferente. Depois que sua origem foi identificada em uma galáxia irregular a 2,4 bilhões de anos-luz de distância, os pesquisadores conseguiram desvendar o mistério um pouco mais.

Telescopio Green Bank

A galáxia é pequena, apenas um quinto do diâmetro da Via Láctea, mas está produzindo estrelas a uma taxa incrível. O sinal é originado de um grande ‘viveiro’ estelar, de modo que os pesquisadores suspeitam que seja de uma estrela de nêutrons poderosa.

Mas se você gosta, assim como nós, de ter uma esperança lá no fundo de que sejam alienígenas, existe uma ideia de que são pulsos de laser usados por uma civilização para impulsionar as naves espaciais para a frente. Mas claro, essa última possível explicação é apenas uma opinião de algumas pessoas.

De acordo com estimativas recentes, cada pulso da fonte supera a luminosidade total de sua galáxia hospedeira e é comparável a certos quasares – alguns dos objetos mais brilhantes do universo. Se os extraterrestres estivessem por trás disso, eles deveriam estar empurrando uma nave espacial e realmente não se preocupavam com o desperdício de energia. Todos os fótons que recebemos da “fonte alienígena” seriam fótons que se perderam.

Aliens ou não, o FRB 121102 continua a nos surpreender. Muitas equipes em todo o mundo estão determinadas a descobrir exatamente o que está por trás disso e, espero que logo descobriremos.