Pentágono admite ter informações sobre OVNIs

Arquivos ultra-secretos de OVNIs podem "prejudicar seriamente" a segurança dos EUA, avisa o Pentágono.

Captura de um vídeo filmado em novembro de 2004 a bordo do porta-aviões USS Nimitz
Links Patrocinados
 

Em novembro de 2004, vários oficiais da Marinha dos EUA a bordo do porta-aviões USS Nimitz alegam terem visto um OVNI sobre o Oceano Pacífico que se movimentava desafiando as leis da física.

Na época, as autoridades classificaram o objeto como “fenômeno aéreo não identificado”, e nada mais disseram sobre o que poderia ser exatamente esse fenômeno.

Em 2017 e 2019, foram divulgados três vídeos de estranhos objetos voadores filmados por pilotos norte-americanos a bordo dos seus aviões.

Em dezembro de 2017, o The New York Times publicou um artigo sobre uns pilotos que tinham interceptado um estranho objeto voador nas proximidades de San Diego em 14 de novembro de 2004 e que o tinham conseguido filmar a partir das câmaras instaladas nos F-18.

Em setembro de 2019, o site Vice relatou que a Marinha norte-americana tinha confirmado que tais vídeos “contêm filmagens de um fenômeno aéreo não identificado”.

Agora, a Marinha dos EUA confirma que sabe mais do que quer dizer.

Segundo o site Live Science, em resposta a uma solicitação enviada pelo investigador Christian Lambright que quer saber mais sobre o “incidente Nimitz”, um porta-voz do Gabinete de Inteligência Naval da Marinha (ONI) confirmou que a agência possui vários documentos secretos e pelo menos um vídeo secreto referente ao encontro com OVNIs em 2004, publicou o site Vice.

Segundo o porta-voz da ONI, tais documentos foram classificados como “SECRET” ou “TOP SECRET” e que partilhar tais informações com o público “causaria danos excepcionalmente graves para a Segurança Nacional dos Estados Unidos”.

Estes arquivos ultrassecretos incluem vários “slides de informações” sobre o incidente, fornecidos à ONI por uma agência não identificada (como não foram os funcionários da ONI a classificar os slides, não podem ser eles a torná-los públicos, acrescentou o porta-voz).

A ONI também admitiu possuir pelo menos um vídeo de duração desconhecida e classificado como “secreto” pelo Naval Air Systems Command (NAVAIR). A ONI não revelou se essa filmagem é o mesmo vídeo de 1 minuto que foi divulgado online em 2007 e noticiado pelo The New York Times em 2017.

No entanto, em novembro de 2019, vários oficiais da marinha que estavam a bordo do USS Nimitz disseram ao site Popular Mechanics que viram um vídeo com 8 a 10 minutos do incidente. Essas gravações originais foram logo recolhidas por “indivíduos desconhecidos” que chegaram ao navio de helicóptero logo após o incidente, disse um oficial.

Luis Elizondo, ex-funcionário do Pentágono, disse ao Vice que “não surpreende a revelação de que existem outros vídeos e com maior duração”.

Conteudo Patrocinado