Granger Taylor: O homem que foi ao Espaço e desapareceu

Há quase 40 anos atrás, Granger Taylor deixou um bilhete dizendo que embarcaria em uma nave extraterrestre para uma viagem interestelar. Ele nunca mais foi visto.

5674
Links Patrocinados
 

Na noite de 29 de novembro de 1980, ventos fortes atingiram a Ilha de Vancouver, no Canadá. No meio desta tempestade violenta, um jovem tímido e muito inteligente, escreveu um recado em uma pequena carta na porta do quarto do padrasto, e saiu da casa de seus pais, deixando para trás todas as suas posses, incluindo US$ 10.000.

Granger Taylor

Ele entrou em sua picape para uma viagem, e nunca mais voltou, desaparecendo para sempre. O que torna este caso digno de nota, 38 anos após o fato, é o conteúdo da carta em que o homem em questão, Granger Taylor, deixou para seus pais lerem:

Links Patrocinados
 

Queridos Mãe e Pai,
sairei a bordo de uma nave alienígena, que é o meu sonho, para uma viagem interestelar de 42 meses para explorar o vasto universo, e depois retornarei. Estou deixando para trás todas as minhas posses, já que não usarei mais nenhuma. Use as instruções do meu testamento como guia de ajuda.
Com amor, Granger.

No lado oposto da carta, estava desenhado um mapa de Waterloo Mountain, que se localiza a muitos quilômetros a oeste da propriedade que era de Taylor. Que relação o mapa ou a montanha pode ou não ter tido com o desaparecimento de Taylor, é apenas um dos muitos enigmas associados a este caso bizarro.

Mas se quisermos tentar entender quais as circunstâncias que levaram Taylor a ter tomado essa atitude e desaparecido, primeiro precisamos ver como foi o passado de Taylor. Granger Taylor nasceu em 7 de outubro de 1948, em Duncan, ilha de Vancouver. Ele tinha o que seus amigos e vizinhos diziam ser uma habilidade surpreendente, para construir e reparar todas as formas de equipamentos e veículos mecânicos. Um dos mais velhos amigos de Taylor, Bob Nielson, chegou até a dizer que Taylor podia ser chamado de um gênio excêntrico.

Granger não gostava muito de estudar e largou a escola quando ainda estava no equivalente ao nosso primeiro grau. Apesar da pouca escolaridade, ele foi considerado por todos os que o conheciam, como um grande autodidata. Com a idade de 14 anos, ele construiu um automóvel de um único cilindro, que foi prontamente exposto no Duncan Forest Museum.

Granger era conhecido como um gênio da mecânica.

Aos 17 anos, conseguiu reconstruir um trator, que mecânicos mais experientes haviam desistido de recuperar há muito tempo. Em 1969, Taylor arou arduamente uma trilha por mais de um quilômetro de floresta densa, para chegar aos restos desolados de uma locomotiva que havia sido abandonada durante a Grande Depressão. Em menos de 2 anos – com nada mais do que seu intelecto, força de vontade, ferramentas e outros recursos à sua disposição – Taylor conseguiu fazer a locomotiva voltar para sua antiga glória.

A mente de Taylor permaneceu focada na compreensão da natureza da tecnologia de movimento, e sua próxima paixão seria por máquinas capazes de voar. Taylor tirou sua licença de piloto e comprou um antigo avião de guerra vintage Kitty Hawk, que ele restaurou.

O avião Kitty Hawk restaurado por Taylor

Sempre procurando algo novo para testar seu vasto entendimento e proeza em mecânica, o mecânico voltou sua atenção para um desafio novo: a questão aparentemente insolúvel de como os discos voadores podiam voar, que tantas testemunhas alegavam ter visto, e o mais importante, como podiam fazer viagens pelo espaço sideral. Durante a segunda metade da década de 1970, Taylor passou mais de meio ano construindo e soldando uma réplica de disco voador. Foi feita com peças descartadas de satélite, e lá dentro foram colocados uma televisão, um sofá e um fogão a lenha. Ele ficou obcecado por descobrir como os discos voadores funcionavam, passando horas lá dentro pensando, e muitas vezes dormindo lá. Taylor começou suas pesquisas sobre o fenômeno OVNI, lendo todos os livros que ele conseguiu.

Um mês antes de Taylor desaparecer, ele disse para um amigo, Nielsen, que enquanto estava dentro do disco, teria entrado em contato telepático com um ser extraterrestre, que veio de além da Via Láctea. Ainda segundo Nielsen, Granger teria feito perguntas sobre o modo de funcionamento dos discos voadores. A única coisa que o extraterrestre teria dito, era que as naves funcionavam com base no magnetismo. Poucos dias após esta primeira revelação, um Granger Taylor muito empolgado disse a Nielsen que a voz teria voltado a falar com ele em seu disco, e desta vez, o alienígena o teria convidado para “viajar pelo sistema solar”.

Disco Voador montado por Granger

Taylor explicou com entusiasmo que ele não seria informado até o final do mês sobre onde ele seria pego para a viagem. Porém, quando a localização do encontro foi revelada a Taylor, ele evidentemente escolheu, ou foi instruído, a não falar onde seria, para os pais e amigos.

Uma noite antes do que seria considerado por muitos, como a última noite de Taylor na Terra (de um jeito ou de outro), o jovem entrou no quarto do seu padrasto e teve uma longa conversa com ele. Jim não tinha idéia de que essa seria a última conversa que ele teria com seu enteado. Infelizmente, a mãe de Taylor, Grace, não estava no Canadá para falar com ele, pois estava de férias no Havaí.

Taylor preparou dois testamentos com instruções detalhadas sobre como seus pais deveriam distribuir seus pertences. Curiosamente, a palavra “falecido” foi substituída pela palavra que no português seria como a frase “já tendo partido”. Às 6:00 da tarde daquela sexta que mudaria a vida de tantos na cidade de Duncan, Taylor entrou no Bob’s Grill para jantar.

A última pessoa que teria visto Taylor, foi uma mulher que estava trabalhando na cozinha do Bob’s Grill, Linda Baron. Ela disse às autoridades que o viu entrar e jantar sozinho, mas não conseguiu lembrar se alguém tentou começar uma conversa com ele. Baron lembrou-se de que o gênio solitário, não estava preparado para a próxima tempestade que já podia ser prevista naquela hora. Ele não usava o casaco de inverno. Baron então testemunhou que Taylor pagou sua conta e saiu do restaurante, exatamente quando a
tempestade estava começando a destruir Duncan e as cidades vizinhas.

Foi a última vez que alguém viu Granger Taylor, até onde se sabe. Estranhamente, o padrasto de Granger achou o casaco dele dias depois do desaparecimento, dentro da casinha do cachorro do enteado. Ao amanhecer do dia seguinte, os cidadãos de Duncan estavam coletando os destroços deixados pela tempestade, e eles também ficaram sabendo de um rumor que se espalhava rapidamente pela cidade – que Granger Taylor havia desaparecido da face da Terra. O padrasto de Granger entrou em contato com a polícia montada para ajudar a encontrar seu enteado, e foram feitas checagens exaustivas em vários lugares, e análises de documentos e pertences deixados por Granger, mas nada sobre o paradeiro dele foi descoberto.

Picape de Granger Taylor

O nome de Granger foi então colocado no sistema de informação da polícia nacional. Seis anos depois, em 1986, a picape de Granger foi encontrada por um lenhador em uma pequena montanha perto de Duncan. A picape estava em parte destruída e pedaços de metal nas árvores próximas, indicaram que supostamente a picape teria sido danificada por uma explosão.

Essa explosão parece ter sido causada por dinamite, que Granger poderia estar levando no veículo. Parece pouco claro, pelo menos sem confirmação da polícia, se os pedaços do veículo supostamente encontrados na montanha, teriam algo a ver com o desaparecimento de Taylor. Mas mesmo admitindo que isso tenha acontecido, a falta de qualquer corpo na cena apenas contribui para ter muito mais mistério do que certezas quanto a essa parte do caso.

As hipóteses sobre o Mistério

Foi considerado por alguns de que Granger pode ter tirado a própria vida. Mas se esse for o caso, então, onde estaria o corpo ou o que restou dele?

Será que Granger ainda poderia querer de fato, desaparecer da vista de todos, e inventado a história do contato extraterrestre? Se foi assim, ele poderia ter simplesmente se mudado.

Em 1980, 10.000 dólares canadenses não seria insuficiente para começar um novo capítulo na vida, e ele certamente poderia ter encontrado um emprego em qualquer lugar como mecânico.

A terceira teoria seria de assassinato. Nesse caso, alguém pode ter descoberto para onde ele ia, ou o visto, e então o matado de alguma forma, jogado o corpo em um rio e explodido parte do veículo para confundir as investigações. Isso é até certo ponto plausível, se for considerada a possibilidade de um assassino psicopata ou um assassino por oportunidade.

A hipótese de assassinato é a mais plausível, por causa da falta de um corpo na cena, e de Granger nunca mais ter sido visto. Porém, para que alguma das hipóteses virasse uma certeza, seria necessário achar o corpo dele, ou ainda, ele vivo em algum lugar.

Mas há ainda, claramente, mais uma teoria, de que o contato extraterrestre era mesmo real, e de que explodir a picape seria necessário para eliminar alguma prova desse contato. Mas Granger avisou que iria fazer uma viagem de 42 meses. Então, nesse caso, porque nunca mais voltou? Os extraterrestres teriam enganado Granger para algum fim, ou ele mesmo mentiu sobre sua viagem? O simples fato de Taylor ter deixado seu casaco para trás em uma noite de tempestade, indicaria que ele realmente acreditava que, aonde que ele fosse, ele não precisaria usá-lo.

O único fato que sabemos de fato é que na noite de 29 de novembro de 1980, Granger Taylor desapareceu, aparentemente sem deixar vestígios.

Em 29 de maio de 1984, a expedição de 42 meses de Granger Taylor deveria acabar, seu padrasto e sua mãe, aguardavam ansiosamente o retorno prometido de Granger, mas ele nunca voltou para a casa.